O livro “A verdadeira história dos Três Porquinhos”, de Jon Scieska, aborda de um modo cômico outro ponto de vista de uma história muito conhecida.
Essa obra é narrada pelo lobo, portanto ele descreve o seu ponto de vista. De um jeito inovador e com comparações muito diferentes, explica que ele não é mau e sim incompreendido. Por exemplo quando conta que toda história, onde a original diz algo bem diferente, se resume apenas a “um espirro e um pouco de açúcar”, palavras do lobo, o narrador. Ou quando fala que não entende como começou o papo de lobo mau, mas que sabe que isso é mentira, pura invenção.
A comicidade aparece durante o texto inteiro. Por exemplo quando o autor “brinca” com as palavras chamando o porquinho de presunto e o comparando com um cheeseburguer: “Seria um desperdício deixar um presunto em excelente estado no meio daquela palha toda. Então eu o comi. Imagine o porquinho como se ele fosse um grande cheeseburguer dando sopa”. O modo como a história é escrita deixa a leitura muito mais leve e prazerosa, fazendo com que a criança tome gosto por ler e se envolva com o livro.
De um jeito bem humorado elas aprendem que um conto tão conhecido como o dos três porquinhos contado de outro ponto de vista, como o do lobo mau, pode ser tão surpreendente quanto a original.
Share This
%d blogueiros gostam disto: